Movimento Ficha limpa

TRE-SP coloca Paulo Maluf na lista de Fichas Sujas

 

ficha suja

Maluf foi finalmente enquadrado como ficha suja.

A candidatura a deputado federal de Paulo Maluf foi indeferida ontem pelo Tribunal Regional eleitoral de São Paulo (TRE-SP). O Tribunal julgou que a condenação em segunda instância decretada em novembro de 2013 por superfaturamento no túnel Ayrton Senna e na Avenida Jornalista Roberto Marinho, construídos quando o candidato era prefeito de São Paulo, enquadra Paulo Maluf como Ficha Suja, ficando então impedido de candidatar-se a qualquer cargo eletivo.

O julgamento encerrado ontem, segunda-feira, começou na última sexta-feira, 29, e terminou com a sessão empatada, três votos favoráveis à candidatura e três a favor da impugnação. Coube então ao desembargador Antônio Carlos Mathias Coltro, presidente do tribunal, desempatar o impasse. Coltro votou contra a candidatura.

A segunda condenação

Em novembro de 2013, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) condenou em segunda instância o deputado Paulo Maluf por improbidade administrativa, acusado de ter superfaturado as construções da Avenida Jornalista Roberto Marinho e do Túnel Ayrton Senna enquanto era prefeito de São Paulo, entre 1993 e 1997.

Além de manter a decisão, o tribunal aplicou uma multa de R$ 21 milhões ao deputado e determinou que Paulo Maluf tivesse seus direitos políticos suspensos por cinco anos. Esse última determinação foi crucial na decisão de impugnar a candidatura do deputado federal.

Com essa segunda condenação, o procurador regional eleitoral de São Paulo, André de Carvalho Ramos, entrou com ação contra o deputado por improbidade administrativa.

Mesmo Ficha Suja Maluf pode seguir em campanha

Contudo, como cabe recurso ao deputado, ele poderá continuar sua campanha por novo mandato como deputado normalmente.

Maluf se manifestou através de nota enviada por seus advogados:

Maluf sempre confiou e confia na Justiça O TRE/SP julgou procedente a impugnação de candidatura do Deputado Federal Paulo Salim Maluf, por 4 votos a 3, que bem indica o quão controverso e o tema. Maluf respeita a decisão do Tribunal paulista e informa que recorrerá ao TSE, mantendo sua candidatura à Câmara dos Deputados, e continuará a realizar normalmente todos os atos de campanha.  

Eduardo Nobre, Patrícia Rios e Silvio Salata