Movimento Ficha limpa

STF investiga um terço dos deputados candidatos em 2014

O STF está investigando 140 deputados que disputam as eleições deste ano.

O STF está investigando 140 deputados que disputam as eleições deste ano.

Nas urnas das eleições deste ano estarão os nomes e números de 479 deputados federais que concorrem a reeleição ou algum outro cargos eletivo. E um de cada três desses parlamentares, 30%, é alvo de alguma investigação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Como são deputados, os parlamentares gozam de foro privilegiado e só podem ser julgados pelo STF. O levantamento foi feito pelo site Congresso em Foco, e tal estudo apontou que 10 desses 140 deputados sob a mira do supremo são alvos de mais de cinco investigações.

Entre os deputados investigados, 115 pretendem se reeleger, 5 querem ser eleitos senadores, mantendo assim o foro privilegiado. Outros, contudo, concorrem a cargos que não garantem esse benefício, oito concorrem para deputado estadual, outros oito a vice-governador e dois desejam ser suplentes de senador.

Segundo o site, dois deputados do DEM são os recordistas no número de processos, ambos concorrem como vice-governador de seus estados, Paulo César Quartiero, de Roraima, e Lira Maia, do Pará. Cada um deles é investigado por 12 pendências com a justiça.

As suspeitas mais comuns

O desvio de bem ou verba por funcionário público (peculato) é a acusação mais frequente entre os 140 deputados, 52 estão sendo investigados por esse crime. Na sequência vem crimes da Lei de Licitações e Eleitorais, com 46 casos. Crimes de responsabilidade aparecem em 32 investigações e 24 deputados são suspeitos de corrupção. Entre as investigações ainda constam nomes de deputados ligados a crimes como homicídio, trabalho escravo, associação ao tráfico de drogas. O levantamento deixou de fora crimes de opinião, como difamação e calúnia.

Andamento dos processos

O STF computa 231 inquéritos, investigações preliminares, e 78 ações penais, processos. Essas ações mostram que o STF ja considera que há indícios suficientes de que os deputados de fato cometeram os crimes apontados e portanto já podem ser julgados. Já respondem como réus no supremo, 51 deputados federais, 18 deles são alvos de mais de uma ação penal.

Desistências

Os deputados Jaqueline Roriz (PMN – DF) e Rodrigo Bethlem (PMDB – RJ) desistiram de suas candidaturas quando passaram a ser investigados pelo STF. Jaqueline Roriz chegou a ser barrada pela Lei do Ficha Limpa, após ser condenada por improbidade administrativa.