Movimento Ficha limpa

Escolha um estado

Minas Gerais

Ver todos
NOME:

Carlos Melles

NOME DE URNA:

Carlos Melles

NÚMERO DE URNA:

2555

SITUAÇÃO:

PARTIDO:

DEM

Carlos Melles

Carlos do Carmo Andrade Melles é mineiro de São Sebastião do Paraíso, nascido em 1947. Formou-se engenheiro agrônomo na Universidade Federal de Viçosa.

Carlos Melles começou a vida pública em 1992, quando ingressou no Partido da Frente Liberal (PFL), três anos depois elegeu-se pela primeira vez como deputado federal, em 2010 foi reeleito para o quinto mandato consecutivo, já pelo Partido dos Democratas (DEM), filiado desde 2007.

Carlos Melles foi anunciado como Relator Geral do Orçamento da União para o ano 2000. Depois disso Carlos Melles pediu licença das obrigações de deputado federal para assumir diversas funções de caráter público.

Em 2000, Carlos Melles licenciou-se para assumir o posto de Ministro do Esporte e Turismo, posto que deixou em 2002. Foi convidado para ser a Secretaria de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais duas vezes em 2011, reassumiu sua posição na Câmara em 27 de novembro de 2013, dois dias depois, 29 de novembro, assumiu o cargo de Secretário do Estado de Transportes e Obras Públicas.

Carlos Melles está de volta à Câmara dos Deputados desde 4 de abril de 2014, e pretende reeleger-se pela sexta vez consecutiva para garantir mais quatro anos.

Carlos Melles – Inelegível

O deputado Carlos Melles tem algumas acusações e condenações em sua ficha, podendo inclusive ser impugnado pela Lei Ficha Limpa em três delas.

A primeira data de 2003, quando Carlos Melles e sua esposa, Marilda Melles, utilizaram erário público para produzir um jornal com o intuito de auto-promoção, apesar de a pequena soma, R$ 7 mil reais, o ato configura como improbidade administrativa, crime pelo qual foram condenados em primeira instância em 2011.

Já em 2006, Carlos Melles foi acusado de abuso de poder econômico e político, novamente por meio de um veículo de comunicação. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acatou recurso e decretou a inelegibilidade do deputado federal.

O TSE entendeu que as vinhetas institucionais da TV Sudoeste, transmitidas de cinco a dez vezes por dia nos meses que antecederam as eleições de 2006 desequilibravam a disputa eleitoral, pois mesmo que Carlos Melles tenha pequena exposição nas imagens, seus concorrentes não tiveram.

No dia 5 de agosto de 2014, o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) deferiu a candidatura de Carlos Melles, que está apto a tentar nova reeleição.
O Movimento Ficha Limpa tem como principal objetivo mostrar aos eleitores quais são os candidatos aptos a participar das eleições e que não tenham processos e acusações graves pendentes na justiça. Qualificar o candidato como bom ou ruim de acordo com seus ideais não é missão nem a responsabilidade do movimento, que preza pelo direito de escolha do cidadão brasileiro de optar por qualquer tipo de posição ideológica ou partidária.